Quem Tem Epilepsia Pode Viajar de Avião?

Já aqui vimos algumas doenças que impedem uma viagem de avião, contudo, mesmo assim, é normal haver várias dúvidas perante doenças ou problemas de saúde específicos. Uma dúvida frequente também é se quem tem epilepsia pode viajar de avião.

Contudo, se você despender algum tempo a planear a sua viagem e, em simultâneo, tiver em conta todos os aspetos que podem afetar as convulsões, você estará numa ótima posição para relaxar e tirar o máximo partido das suas férias.

Quem tem epilepsia pode viajar de avião
Quem tem epilepsia pode viajar de avião desde que tome os devidos cuidados.

Descobrindo se quem tem epilepsia pode viajar de avião

Viajar de avião com epilepsia

Ter epilepsia, normalmente, não impede as pessoas de viajar de avião. No entanto, as convulsões de algumas pessoas são despoletadas pelo cansaço excessivo, o que pode acontecer em viagens de avião de grande duração ou eventualmente devido ao próprio “jet lag”. Além disso, as convulsões podem ser também despoletadas pela ansiedade e excitação, o que pode efetivamente afetar algumas pessoas quando estão a viajar.

Se houver a possibilidade de ter epilepsia num avião, é útil que quem viajar no avião consigo saiba da sua condição e de como ajudar-lhe se tiver uma convulsão. Mas, além disso, deverá informar também a companhia aérea com que vai viajar. Isto porque, assim, o pessoal de cabine sabe das suas convulsões. Contar-lhes qualquer informação que ache pertinente sobre a sua condição pode ser também importante.

Medicação para viajar com epilepsia

Como poderá calcular, é boa ideia levar consigo medicação suficiente para a viagem e, além disso, na sua embalagem original. Isto porque alguns medicamentos podem ter nomes diferentes noutros países ou podem não existir de todo.

De acordo com os regulamentos dos aeroportos, você pode transportar comprimidos, cápsulas ou líquidos até 100ml na sua bagagem de mão. Note que é importante levar os seus medicamentos na mala de mão para estar devidamente preparado caso a sua mala de porão seja extraviada. De qualquer modo, se os seus medicamentos estiverem num recipiente maior do que 100ml, deverá contactar a sua companhia aérea antes de viajar. Pode ser necessário ter uma carta do seu médico ou especialista a explicar a sua epilepsia e a medicação que toma.

Se estiver a planear uma viagem cuja duração será superior a três meses, saiba que o seu médico não lhe poderá receitar medicamentos para esse tempo todo. Nesse sentido, deverá tomar medidas para que outra pessoa no seu país compre os medicamentos para si e, posteriormente, envie-os por correio para si.

Os fusos horários para quem tem epilepsia

Se você toma medicação com intervalos regulares e está a viajar para um destino com outro fuso horário, então é preciso que você se ajuste gradualmente quando você toma medicação. Isto para que tome a medicação numa altura apropriada do dia. Uma vez que estas alterações dependem do quão longe você vai viajar e, ao mesmo tempo, de quanto tempo, é igualmente importante que você fale com o seu médico atempadamente, para ter aconselhamento personalizado sobre esta matéria.

Seguro de viagem para quem tem epilepsia

A condição de cada pessoa é, naturalmente, tida em consideração quando as companhias de seguros fazem um orçamento para desfrutar de um bom seguro de viagem. Ter epilepsia pode significar um ligeiro aumento do prémio a pagar, mas isso vai depender significativamente do tipo, frequência, bem como severidade das convulsões. Dar o máximo de informações possíveis sobre a sua epilepsia pode ajudar a companhia de seguros a dar-lhe um orçamento preciso e justo.

Procure fazer simulações em diferentes companhias de seguros, de forma a encontrar a companhia que lhe oferece as melhores condições para a sua situação. Se o seguro estar associado ao seu pacote de viagem, que você contratou através do seu agente de viagens, então o mesmo não está regulado da mesma forma de quando você contrata um seguro de viagem diretamente. Isto significa também que você vai precisar de verificar a apólice do seguro minuciosamente para determinar quais são as coberturas que estão incluídas.

De qualquer modo, a subscrição de um seguro de viagem pode ser essencial, quer para se sentir devidamente seguro e protegido na sua viagem, quer para desfrutar da mesma na sua plenitude.

Vacinações em quem tem epilepsia

As vacinações de viagem destinam-se a proteger você de doenças infeciosas quando visitar alguns países. As vacinas recomendadas dependem do país que vai visitar, a altura do ano em que vai viajar, bem como do seu historial médico. A maior parte dos tipos de vacina existentes não afetam a epilepsia, o controlo das convulsões ou mesmo os medicamentos para essa condição.

Mesmo assim, deverá adotar alguns cuidados, informando-se adequadamente junto do seu médico. Deve-se acrescentar também que alguns medicamentos anti-malária podem provocar convulsões e não são adequados para pessoas com epilepsia, caso em que somente o seu médico poderá recomendar-lhe qual a melhor medicação para o seu caso.

Portanto, quem tem epilepsia pode viajar de avião, mas é necessário adotar alguns cuidados, de forma a certificar-se que tudo decorrer dentro da normalidade e sem qualquer tipo de percalços.

« Voltar para a Página Inicial

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *