Como Fazer um Cruzeiro à Antártida – Saiba tudo aqui!

A Antártida, também designada no Brasil como Antártica, é a zona mais inóspita e remota do nosso planeta. Por isso, despoleta muito curiosidade em pessoas dispostas a fazerem a derradeira aventura, isto é, um cruzeiro à Antártida. Durante alguns meses, quem estiver disposto a embarcar nesta aventura, poderá ter a oportunidade de visitar este continente.

A bordo de um cruzeiro com destino à Antártida, embora possam existir algumas variações dependendo do itinerário de cada companhia, você terá a oportunidade de atravessar a Passagem de Drake, conhecer um pouco mais da ilha Geórgia do Sul, bem como outras ilhas perto do continente, como a ilha Deceção, até finalmente chegar à Antártida.

Descubra Como fazer um cruzeiro à Antártida

Tem curiosidade em saber como fazer um cruzeiro à Antártida? Abaixo, poderá saber todas as informações que precisa para fazer o cruzeiro da sua vida, desde saber de onde é que os cruzeiros partem, qual a melhor altura para ir num cruzeiro, que companhias operam na região e, claro, como efetuar a sua reserva.

Como Fazer um Cruzeiro à Antártida
Um cruzeiro à Antártida permitir-lhe-á ter uma experiência verdadeiramente memorável.

De onde é que os cruzeiros para a Antártida partem?

Se comprar um pacote, certifique-se que o mesmo já integra a viagem do seu país para o porto onde irá apanhar o seu cruzeiro. Os cruzeiros para a Antártida, normalmente, partem do porto de Ushuaia, na Argentina, ou, em alternativa, de Santiago, no Chile.

A maior parte dos cruzeiros levam entre 9 a 12 dias e passam pelas ilhas Shetland do Sul e pela Península Antártica. Algo que é obrigatório em todos os cruzeiros é a travessia pela Passagem de Drake, isto é, por um mar habitualmente atribulado. Por isso, leve consigo algo para o enjoo.

Mesmo assim, quer quiser evitar a Passagem de Drake, existem outras possibilidades. Por exemplo, a Quark Expeditions e a Antarctica XXI disponibilizam opções que permitem aos passageiros viajarem para as ilhas Shetland e só aí apanharem o navio. Esta opção, naturalmente, está sempre sujeita às condições meteorológicas, pelo que nem sempre está disponível.

Qual a melhor altura para ir num cruzeiro à Antártida?

O verão na região e a temporada de cruzeiros começa em novembro e termina em março. Isto significa que nenhum navio do género visita a região no inverno, altura em que o gelo se estende por mais de 620 milhas em torno do continente, há escuridão durante a maior parte do dia e temperaturas gélidas.

Tradicionalmente, os meses de dezembro e de janeiro são os mais populares para visitar a península Antártica. Nessa altura, os dias são mais compridos e as temperaturas são mais confortáveis.

Você terá a oportunidade ver pinguins no seu habitat natural.
Você terá a oportunidade ver pinguins no seu habitat natural.

A meados de dezembro, os primeiros filhotes de pinguins emergem e as baleias começam a chegar. No mês seguinte, as baleias são mesmo abundantes, permanecendo assim durante toda a temporada. O gelo começa também lentamente a recuar, permitindo que se explore mais a região. Em fevereiro, as noites já são bem mais longas e, no fim da temporada, já se sente a iminente chegada do inverno.

Você poderá experienciar uma grande variedade de condições meteorológicas, desde chuva, neve, granizo, céu ensolarado, independentemente do mês em que for. As temperaturas podem mudar de uma hora para a outra, desde temperaturas moderadas até mais gélidas, não descurando o fator do vento que pode enfatizar ainda mais o frio.

O que levar consigo num cruzeiro à Antártida

Um cruzeiro à Antártida, como poderá calcular, não é propriamente como um cruzeiro ao Alasca, e muito menos como um cruzeiro ao mediterrâneo. Nesse sentido, é importante que se prepare adequadamente.

Em termos de roupa, deverá levar: um casaco de inverno (apesar de algumas companhias facultarem uma casaco complementar); calças à prova de água, de forma a mantê-lo seco quando estiver em pequenos barcos insufláveis; dois pares de luvas quentes, tendo assim um par suplente quando o outro se molhar; um ou dois gorros de lã, para manter a sua cabeça quente. Um par de botas de borracha altas até ao joelho também é necessário para ir até terra, sendo que não preciso de outro tipo de botas para ir e estar em terra para além dessas.

Algumas companhias permitem que alugue material como calças, botas, entre outro material, mas deverá ver junto da sua companhia se esta é uma opção disponível. Você irá precisar também de roupa interior térmica, meias quentes, camisolas e calças de lã, para vestir debaixo da sua camada protetora impermeável.

Em termos de outro material, é aconselhável levar uma máquina fotográfica para poder capturar muito do cenário paisagístico peculiar de Antártida e da sua vida selvagem e, se desejar, uns binóculos também. Uma mochila impermeável para levar esse tipo de material também é recomendável.

Pontos de paragem de um cruzeiro à Antártida

No que concerne aos pontos de paragem de um cruzeiro à Antártida, os mesmos são totalmente distintos dos que você alguma vez passou. Isto porque não existem cafés, lojas, cidades, nem sempre pessoas, com exceção de algumas estruturas para efeitos de pesquisa. Os pontos de paragem mais comuns incluem:

Ilha Deceção

Esta ilha, que tem um vulcão ativo com cinza preta, é um dos pontos de paragem mais populares. Na costa, podemos ver uma antiga base britânica, bem como ruínas de uma operação baleeira norueguesa. É um excelente local para fazer caminhadas e no topo dos picos mais altos, se tiver sorte, pode mesmo ver um grupo de baleias jubarte.

Ilha Elefante

Habitat de muitos pinguins, esta é a ilha onde a tripulação de Shackleton ficou encalhada, quando ele levou cinco dos seus homens em busca de ajuda. Eventualmente, os homens foram resgatados da ilha, mas apenas depois de terem passado o inverno na mesma.

Porto Lockroy

Em Porto Lockroy, podemos ver uma base britânica abandonada, a qual foi secretamente estabelecida durante a Segunda Guerra Mundial para relatar a atividade do inimigo e fornecer relatórios meteorológicos. Agora, o edifício rústico é como uma cápsula do tempo da década de 1960. Atualmente, é mantido pela Antarctic Heritage Trust, sendo parte museu e parte loja.

Ilha Meia Lua

Esta ilha com formato de meia lua é a casa de uma estação de pesquisa argentina. Na ilha poderá também encontrar as ruínas de um antigo barco baleeiro de madeira, bem como uma grande colónia de pinguins. Além destes, você também vai encontrar elefantes-marinhos a relaxarem nas praias ou a lutarem ferozmente.

Canal Lemaire

Trata-se de um dos canais mais espectaculares e fotografados do planeta. Tem o apelido de “Kodak Gap” e depressa constatamos porquê, quando deslizamos pelo mar de safira clara entre montanhas com picos cheios de neve. Não é um ponto de paragem, mas é possível andar de barco insuflável pela área para ver focas e, se quiser, tirar algumas fotos ao seu navio.

Estação Argentina na Antártida
A estação Argentina na Antártida

Companhias que fazem cruzeiros à Antártida

As viagens turísticas até à Antártida começaram na década de 60 do século passado e, durante muitos anos, somente um punhado de barcos construídos especificamente para o efeito podiam se aventurar até a essa região remota do mundo. Todavia, nos anos 90, as expedições através de cruzeiros cresceram imenso, razão pela qual hoje em dia você encontra uma grande variedade de navios, tamanhos e preços.

Quando estiver a escolher um cruzeiro adequado para você, saiba que o tamanho é importante. Isto porque os navios que levam mais de 500 passageiros não podem levar os mesmos até à costa. Geralmente, em navios maiores, como da Holland America, Crystal Cruises ou Azamara Cruises, os passageiros levam mais tempo a ver as paisagens que o continente lhe proporciona do que propriamente a irem até terra.

Todavia, a maior parte dos navios de expedição são mais pequenos, levando até 200 passageiros. Estes, normalmente, possibilitam que os passageiros utilizem embarcações infláveis para sairem dos navios e se aventurarem em terra. Os navios mais pequenos são operados por companhias como a Aurora Expeditions, Oceanwide Expeditions e Antarpply Expeditions, ao passo que os navios de médio porte são operados por companhias como Hurtigruten, Zegrahm Expeditions, Lindblad Expeditions, Quark Expeditions, G Adventures e Noble Caledonia.

A reserva do seu cruzeiro para a Antártida

Se desejar fazer um cruzeiro à Antártida, poderá aproveitar para fazer AQUI a sua simulação ou, porque não, fazer desde já a sua reserva online e começar a contar os dias para usufruir de uma viagem verdadeiramente memorável. Caso prefira um atendimento presencial, poderá também naturalmente deslocar-se a uma agência de viagens perto de si, de forma a elucidar quaisquer potenciais dúvidas que possa ter.

« Voltar para a Página Inicial

Leave A Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *